olivia maia - escritora e ilustradora desterrada.

hospedagem inusitada em san lorenzo

, ,

porque em San Miguel de Tucumán a gente tinha conhecido um rapaz no hostel, que disse que morava em Salta com a namorada brasileira de Piracicaba que era professora de português, e que quando a gente passasse por lá podíamos ficar na casa deles. deixei meu número com ele e não demorou muito a namorada, Carol, me mandou mensagem e reforçou a oferta da hospedagem.

eles moram em San Lorenzo, que fica a uns 15 km da capital e é uma espécie de refúgio de veraneio de muita gente que mora na cidade. o ônibus chegou em Salta pelo horário de almoço, comemos alguma coisa na rodoviária e tomamos um ônibus de linha ali pertinho.

acabamos descendo em lugar errado e caminhando um monte avenida acima, procurando o portão branco e a “casa grande” que a Carol me tinha descrito. quando enfim encontramos, achamos a casa bem assustadora. parecia mesmo uma coisa de filme de terror.

aparências arquitetônicas à parte, fomos mui bem recebidas pela Carol e pelo Leo, que estavam com uns amigos planejando detalhes do casamento dos dois, que ia ser dali uma semana. a casa em si era de um gringo que a havia dividido em vários apartamentos, e que portanto era ocupada por várias pessoas em diferentes espaços. um terreno gigantesco pra alegria do Trotski, o cachorro dos dois, que era praticamente o único animal a ocupar todo o jardim.

tínhamos um quarto da casa só pra gente, com um banheiro que era quase maior que o quarto em si, e felizmente não havia pela noite ruídos de fantasmas.

tomaríamos um dia pra caminhar por San Lorenzo, ir até o rio, caminhar pelas ruas vazias cheias de flores de início de primavera. Andressa na verdade já estava muito me xingando silenciosamente de tanto que eu fazia ela caminhar, e confesso que também eu estava precisando de um descanso.

gosta do meu trabalho?

receba novidades por e-mail: assine a newsletter.

apoie minha produção e receba em casa o zine rabiscologia.