olivia maia - escritora desterrada.

metalinguagem

Estamos pois na vizinhança de uma questão à qual parecem ligadas a literatura e a arte em geral: se não há poema que não tenha por “assunto”, tácito ou manifesto, sua realização como poema, e se o movimento do qual provém a obra é aquilo com vistas a que a obra é por vezes realizada, por vezes sacrificada.

Maurice Blanchot
O livro por vir

gosta do que eu escrevo?

receba novidades por e-mail: assine a newsletter.

colabore com meu trabalho: compre meus livros ou faça uma contribuição única ou mensal.