olivia maia - escritora desterrada.

remendar com palavras

, ,

P1050976

Você sabe, o terrível desse momento da juventude é que em uma hora sombria e sem nome tudo deixa de ser sério para ceder à suja máscara de seriedade que se deve pôr na cara, e eu agora sou o doutor fulano, e você o engenheiro beltrano; bruscamente nós ficamos para trás, começamos a nos ver de outro modo, ainda que por algum tempo persistamos nos rituais, nas brincadeiras comuns, nas cenas de camaradagem que jogam seus últimos salva-vidas em meio da dispersão e do abandono, e tudo é tão terrivelmente natural, Maurício, e a alguns dói mais que a outros, uns como você, que vão passando por suas idades sem sentir, que acham normal em álbum em que a gente se vê com calças curtas, com um chapéu de palha ou a farda de recruta…

Julio Cortázar, “Relato com um fundo de água”,
do livro Final do jogo.

    últimas fotos

  • pausa
  • trabalho no escritório
  • manhã de quintal até furar a luva, alguém?
  • olishaus
ver o diário fotográfico.