olivia maia - escritora desterrada.

tudo bem

,

pode olhar torto e dizer que você vai precisar de dinheiro de qualquer jeito, feito fosse gerente de banco e paladino da máxima sensatez, ou essas risadinhas que a gente reserva para as avós a quem já escapa a lucidez e as crianças que sonham em comprar um zoológico. pode não levar a sério e pensar que eu enlouqueci, que é uma fase, que vai passar. ter certeza de que vou recuperar a sanidade e desistir antes mesmo de tentar. pode dizer que o mundo é assim e dar de ombros tão conformadamente. pode dizer que não podemos mudar o sistema e pode até mesmo dizer que não é tão ruim assim porque afinal as exceções etc.

vai falando que eu não estou ouvindo, que estou eu aqui com a minha risadinha que a gente reserva aos velhos mais ricos e sozinhos, às filas de rua para comprar celular novo, ao trânsito na rebouças e aos executivos discutindo estratégia de marketing e valor agregado no horário de almoço.

gosta do que eu escrevo?

receba novidades por e-mail: assine a newsletter.

colabore com meu trabalho: compre meus livros ou faça uma contribuição única ou mensal.