olivia maia - escritora e ilustradora desterrada.

tag: listas

as leituras de janeiro

, ,

pois desde setembro do ano passado que engatei nas leituras de vez, de volta ao mundo da literatura depois de um tempo ausente por motivos diversos. agora acho que li mais neste mês de janeiro do que em todo o ano de 2015, por exemplo. com certeza li mais do que em todo o ano de 2012, quando ainda fazia listas.

inclusive voltei a fazer listas.

também estou no goodreads, como já disse por aqui.

enfim, as leituras de janeiro:

1. In Bluebeard’s Castle, George Steiner
2. Heretics, G. K. Chesterton
3. Men Explain Things to Me, Rebecca Solnit
4. The Actuality of Communism, Bruno Bosteels
5. As aventuras da dialética, Maurice Merleau-Ponty
6. The Communist Horizon, Jodi Dean
7. Azul é a cor mais quente, Julie Maroh
8. Sobre el arte contemporáneo & En la Habana, César Aira
9. As artes da palavra: Elementos para uma poética marxista, Leandro Konder
10. A estrela da manhã: surrealismo e marxismo, Michael Löwy
11. As cinco dificuldades de escrever a verdade, Bertolt Brecht
12. Os irredutíveis: teoremas da resistência para o tempo presente, Daniel Bensaïd
13. Para você não se perder no bairro, Patrick Modiano
14. O mal-estar da pós-modernidade, Zygmunt Bauman
15. Quem matou Roland Barthes, Laurent Binet
16. Dialética do esclarecimento, Theodor Adorno & Max Horkheimer
17. The Enemies of Books, William Blades
18. Manifesto contra o trabalho, Grupo Krisis

só duas leituras de ficção (13 e 15), mais uma de quadrinhos (7). muitos barbudos e/ou comunistas, evidentemente. umas coisas engraçadinhas pelo caminho, mas não muitas. acho que preciso mesmo uma pausa nas leituras cabeçudas e voltar um pouco à ficção.

vamos ver o que vem pela frente neste mês de fevereiro (não faço mais planos; vou abrindo livros e empilhando, e lendo cinco ao mesmo tempo, conforme o momento e a vontade).

as listas que eu não faço

,

livros que eu quero ler. porque são tantos. quantos livros um ser humano normal consegue ler em um ano? em 2016 eu li muito, mas ainda assim muito pouco. a pilha de livros que pretendo ler em breve já vai pra mais de 140. não vou escolher entre eles uns 60 ou 80 pra ler neste ano que começa. vou mudar de ideia. vou descobrir qualquer coisa mais urgente ou mais interessante ou urgente e interessante. que tem sido a melhor maneira de ler: terminar um livro e fuçar na estante (física ou virtual) qual título grita mais alto.

resoluções de ano novo. a pessoa ansiosa pode fazer listas de coisas do dia: lavar louça, arrumar a cama, buscar encomenda no correio, pagar a conta da internet. lista de COISAS pra fazer ao longo do ano é pedir pra construir ansiedade enquanto os itens ficam ali parados todos os dias olhando pra você como quem diz hoje só amanhã?

as listas para o futuro. por que nos maltratamos tanto?

faço listas infinitas de autores e livros pra procurar.

guardo artigos no pocket pra ler um dia. ou, quem sabe, pra um dia começar a ler e nem lembrar mais por que eu tinha guardado aquele troço.

faço listas de coisas que preciso lembrar. listas de compras no mercado. o velho método de anotar as coisas pra não precisar ficar guardando na cabeça. às vezes elas ficam tanto tempo anotadas que umas semanas depois elas perdem toda importância.

talvez seja esse o principal objetivo das listas.