olivia maia - escritora e ilustradora desterrada.

de volta a córdoba: san marcos sierra

não bastassem as 24 horas de viagem me restavam ainda umas quatro até alcançar Capilla del Monte. comprei passagem pras duas da tarde. Fernando conseguiu também passagem pro mesmo horário, com destino a Tucumán. já era uma e meia então não precisamos esperar muito. já era hora da despedida.

porque muito estranho ter se acostumado com uma companhia de viagem e de repente vai cada um pra um lado. fato é que se não fosse pela companhia jamais teria ido até o refúgio Las Grutas, e muito menos seguido ao Chile em caminhão. então valeram os dias.

adiante.

me meti no ônibus e acomodei-me ao lado de um senhor que roncaria toda a viagem.

puf.

fui meio dormida, meio conversando no whatsapp, meio vendo um filme mais ou menos na televisão do ônibus; a paisagem não é grande coisa e se repete infinitamente: uma grande planície e nada mais. um pouco mais adiantadas as horas se começa a ver algo das serras de Córdoba adiante.

pois que meu plano era ir a Capilla del Monte porque de lá tomaria um ônibus a San Marcos Sierra. também saem ônibus desde Cruz del Eje, mas esse é um povoado feiozinho e sem graça e eu preferia passar uma noite em Capilla do que correr o risco de ter de procurar alojamento em Cruz del Eje.

mas a sorte, essa maluca: quando o ônibus fez a parada na rodoviária de Cruz del Eje, vi ali esperando um ônibus de linha que ia a San Marcos. desci e pedi ao motorista que esperasse um pouco, fui até o outro ônibus e perguntei. sim, ia a San Marcos, sai em dez minutos. voltei, agarrei minhas mochilas e aproveitei a coincidência.

cheguei em San Marcos Sierra no finalzinho da tarde, ainda com luz. no posto de informação turística a mocinha me deu várias indicações de hostel e saí caçando preços até parar no mais barato, um pouco afastado do centro (o que nesse lugar significa a 5 quadras da praça), chamado Viejo Molino. estava cansada mas o dono me disse que comprasse frios e pão que me fazia uns sanduíches.

feito.

aí não sei mais nada: dormi.

no dia seguinte saí do hostel só pra comer e fiquei bem à toa nerdeando um pouco, selecionando fotos e fazendo nada no computador. era muita informação muito lugar muita paisagem pra processar das três semanas anteriores e eu nem sabia bem por onde começar.

gosta do meu trabalho?

receba novidades por e-mail: assine a newsletter.

apoie minha produção e receba em casa o zine rabiscologia.