joana <3

uma amiga da minha mãe tinha dito que um casal de velhinhos da vizinhança morreu e deixou uma gata que os filhos não podiam cuidar. fui com minha mãe. uma vizinha abriu a porta dos e Joana entrou pra esperar a comida que sempre vinha. peguei Joana no colo e ela só fez se acomodar e ronronar. disse à minha mãe: então, vamos?

não teve outra alternativa.

diz-se que o nome dela era Nina; mas em casa a cachorra já era Nina, então já no carro ela ficou Joana.

ela tinha cara de Joana.

2010_07_01_1429_P1030668avatar

muito rápido se fez rainha e brigava com todos os outros animais da casa. com pessoas, não: fazia amizade com o encanador, o eletricista, o funcionário da net, o vizinho, o zelador. Joana provavelmente pensava que era também um pouco humana.

em seu infinito mau humor, no fundo ela gostava da companhia dos bichos: de bater no cachorro, de ficar parada na porta da cozinha pra impedir a cachorra de passar, de reclamar com o gato Teodoro quando ele ousava brincar perto dela. era só ficar um pouco mais sozinha que ela já chamava pra saber se alguém estava por perto. e nas vezes que voltei de viagem passava sempre três dias me ignorando, de costas, pra me fazer entender que ela estava aborrecida com minha ausência; então vinha e subia em cima de mim, ronronando.

nunca soube quantos anos ela tinha. provavelmente muito mais do que pensei.

DSC08108

que eu posso dizer? nunca precisei dizer muito pra ela.

este post é na verdade só um agradecimento por ter tido a companhia dessa gata rabugenta por tantos anos.

<3 Joana.

IMG_20130223_111200