olivia maia - escritora e ilustradora desterrada.

san miguel de tucumán e a fuga da cidade grande

cidade grande!

tivemos que tomar um ônibus às nove da noite até La Rioja e de lá era pra ser o das duas até San Miguel de Tucumán, capital da província de Tucumán, mas esse estava lotado então esperamos o das quatro sentadas numas mesas dum kiosko e vendo televisão ruim.

a cidade é… bueno, uma cidade.

tem centro histórico com praça e prédios antigos e bonitos, e banco pra sacar dinheiro e nada mais. me canso fácil.

o que fizemos foi tomar um ônibus até o cerro San Javier; o ônibus sobe por uma estradinha sinistra com miles de curvas impossíveis entre florestas e precipícios e altas emoções.

descemos na parada do Cristo e de lá dá pra ver toda a cidade.

img_2023

(mais ou menos.)

resolvemos caminhar pela estrada pra alcançar a cascada do rio Noque, com algumas paradas interessantes pelo caminho; a cascada mesmo não chegava nunca. acabamos pegando carona numa caminhoneta que nos deixou na entrada. deu pra ficar ali bem à toa e pôr os pés na água (gelada).

img_2032

img_2038

img_2039

img_2051

na volta também uma carona simpática até o Cristo e matar um tempinho pra tomar o ônibus de volta. acabamos descendo com um desses táxis coletivos que cobram o mesmo do ônibus e teoricamente vão mais rápido, mas o infeliz do carro quebrou antes de chegar no centro e tivemos que tomar um ônibus de qualquer jeito.

cidade grande cidade grande. não tinha mais muita coisa pra fazer e saltar de parapente (teoricamente é o segundo melhor lugar do mundo pra saltar de parapente) custava muito caro: 750 pesos. também os montes de trekking mais montes de pesos e achamos melhor guardar dinheiro pro resto do caminho. nos restava ir embora. no dia seguinte tomaríamos o ônibus do meio-dia pra Tafí del Valle.

gosta do meu trabalho?

receba novidades por e-mail: assine a newsletter.

apoie minha produção e receba em casa o zine rabiscologia.