estranho chile

ou porque passei tempo demais no norte argentino e por isso o Chile me parece um lugar estranho? não sei como seria se tivesse saído direto de São Paulo, por exemplo; fato é que saí de Catamarca e que estranho lugar é o Chile. ou o norte do Chile.

todos os carros param quando você vai atravessar a rua. nem precisa ser na faixa. param até mesmo quando o mais lógico, o mais fácil, seria passar e deixar que eu atravessasse em seguida.

todas as caminhonetas tipo 4×4 são vermelhas (sério).

(aliás, tem muito carro vermelho.)

todos os chilenos são mei hipsters, até aqueles que não são nada hipsters. que coisa curiosa.

a gente do comércio é mei tosca e muitas vezes se faz de surda pro sotaque mei argentino que eu tenho, e o sotaque muito argentino (e portenho) que tem o Fernando. aí ninguém se entende e tem ainda as palavras que são diferentes e socorro.

o cálculo do câmbio dá um trabalho enorme porque 1 real = 220 pesos chilenos, mais ou menos. aí você vai comer um sanduíche que custa 2 mil pesos e quase cai pra trás.

fico pensando que há no Chile algo de claustrofóbico, assim espremido entre oceano Pacífico e cordilheira dos Andes, e ainda aqui no norte esse deserto pra todos os lados.

ou é uma combinação da súbita umidade de praia e o excesso de oxigênio que exercem um poder meio opressivo sobre este ser humano (eu) que já começava a se acostumar com a puna.