capitalismo de vigilância

em 2016 acertei na previsão do tema do ENEM. agora, em 2019, errei feio, como provavelmente erraram quase todos que tentaram um palpite.

em 2013 desconfiei que os protestos dos 20 centavos seriam inevitavelmente usados de forma torta, e à parte minhas ansiedades, e soube que não queria participar daquilo. no ano seguinte, escondida no norte da Argentina acompanhando os resultados das eleições para presidente, tive certeza de que não deixariam Dilma finalizar o mandato.

algumas coisas a gente pressente. a necessidade atual de se afastar de certos mecanismos das redes sociais e do mundo conectado. sair do facebook e do instagram e se livrar do smartphone. esconder-se na montanha no interior da Bahia e fazer artesanato, miniaturas, zines impressos para vender na feirinha de arte. ensaiar fugir também do whatsapp e do android, de uma vez por todas.

este site e blog que talvez ninguém mais leia, porque quem usa RSS hoje em dia.

desconfiar, questionar, duvidar. sempre.

também porque é impossível ler Shoshana Zuboff e seguir adiante como se nada houvesse acontecido.